Ronda, Aldo e nossa memória curta