Atenção, trash talkers: Ser mulher não é defeito